O que é exaustão "burn out"?

E o que (não) fazer pra resolver.


Já ouviu falar de exaustão "burn out"?

É um termo usado pra descrever o estado de alguém que fica impossibilitado de cumprir certas tarefas depois de fazê-la repetidas e repetidas vezes. Acontece muito com quem trabalha em escritório, fazendo as mesmas coisas estressantes por dias consecutivos; e acontece com artistas, que depois de focarem na criação e produção de uma obra, não têm ânimo ou criatividade pra começar outro projeto por um booom tempo…

Depois de ter postado o primeiro vídeo da série #EnriqueNômade, me senti exatamente assim — exaurido e exausto de um jeito não natural.

O vídeo “Fui morar na Ilha da Gigóia” levou 46 horas pra ser escrito, editado, pós-editado e postado, e eu passei tanto estresse com o notebook lento, esquentando e desligando, e com a internet praticamente inutilizada, que precisei me dar uma semana de férias porque não consegui criar mais nada depois disso: a fonte secou.

Não é a primeira vez que passo por algo assim — até porque escrevi 3 livros em 2 anos — e, como falei lá em cima, a estafa, a exaustão, e o “burn out” são termos que descrevem uma sensação comum entre nós, workaholics: a sensação de CHEGA! NÃO DÁ MAIS!

Fiquei uma semana longe do smartphone, longe do computador, decidi ser preguiçoso com as tarefas cotidianas e li 3 livros em 3 dias. No final de semana eu bebi, vi as estrelas da Ilha de Itacuruçá e me perdi na névoa com meus amigos, que foram embora às 8h da manhã de hoje.

Quando acordei às 6h, eu já me sentia como eu de novo :)

Então as dicas são essas:

1. Quando não souber o que fazer, não faça nada. Não fazer nada também é fazer alguma coisa.

2. Você também pode ler 3 livros em 3 dias, especialmente começando pelos meus, que são dinâmicos, modernos e curtinhos - aqui estão.

3. O primeiro episódio de #EnriqueNômade tem tudo que você precisa saber sobre quem sou eu, escrevendo pra você agora — por isso você deveria assistir!

Vai por mim: as coisas são mais simples do que parecem. Mesmo que não pareçam.



ASSISTA O EPISÓDIO 1 DE #ENRIQUENÔMADE