• Enrique Coimbra

Tour no apartamento ultra minimalista do Enrique Nômade em Florianópolis @enriquenomade

Há quatro anos viajando como escritor freelancer e nômade digital, minha felicidade se resume a um mantra: “quanto menos, melhor” – o que se reflete em todos os aspectos da minha vida 🧘‍♂️



Acumulador não! Colecionador


Fui um adolescente ansioso, viciado em estímulos, e isso se expressava na necessidade de criar um universo mutável dentro do meu quarto – meu território físico e emocional.


Decoração era uma arma contra o medo do afastamento das pessoas – afastamento causado por meu humor melancólico e inconstante.


Meus objetos, quase sempre reaproveitados e customizados por mim, eram lembretes "faça você mesmo" para os períodos difíceis: tudo que eu precisava fazer era transformar depressão em arte.



Colecionar bagulhos favoritos nas decorações, nas roupas ou nos arquivos digitais, era um jeito de manter minha identidade intacta dentro da tempestade existencial que era meu convívio social e familiar.


Nas fotos dos meus quartos ali em cima, vejo uma tentativa de me defender da depressão, da sensação de isolamento (solidão) e do meu pavio curto 💥 (autodestrutivo).


Coisas me davam a segurança que meus pais não me deram – que ninguém pôde me dar.


Dois jeitos de ficar rico


Até que fiquei mais deprimido.


Numa tentativa de melhorar meu humor, decidi procurar por novas ideias de decoração para o quarto.


Estavam surgindo as primeiras imagens de minimalismo na decoração pelo Pinterest, e ambientes espaçosos, iluminados pelo sol, arejados e aconchegantes pularam na minha cara!


Eu soube, “É isso que eu quero no meu quarto!”


Precisava reproduzir essa paz e calmaria no meu pequeno universo para controlar minha ansiedade. Os resultados estão a seguir:



Caso você não tenha notado, mudar a decoração era um jeito de me distrair do que eu realmente precisava fazer: terapia.


Foi aí que meu estilo de vida minimalista saiu da decoração, e ano após ano se tornou um exercício saudável de desapego: tenho o que preciso para viver bem (melhorando sempre).


Dizem que há duas formas de se tornar rico: uma é fazendo mais dinheiro, e outra é precisando menos das coisas.


Escolhi precisar menos das coisas.


Tour no meu apartamento ultra minimalista


Nunca me senti tão livre – e depois de me sentir uma pipa avoada no início, a independência emocional e autoconhecimento que ganhei no processo fizeram valer cada segundo.


Abaixo está o vídeo de apresentação do meu “apertamento” em Santinho (Florianópolis, SC):



Dá pra ver o contraste do passado com o presente, que à primeira vista parece radical, mas que é resultado de pouco mais que quatro anos desapegando, desapegando e desapegando…


Vídeo 'Minha vida cabe na mochila'


“Minha vida cabe na mochila” foi meu primeiro vídeo sobre minimalismo – lançado no canal Enrique Sem H pelo YouTube em 22 de maio de 2017.


Você pode assistir abaixo se quiser:



Fique de olho


Para não perder mais posts, entre para a lista de transmissão do WhatsApp ou Telegram.


Também envio novas publicações por e-mail – para receber inscreva-se no Clube do Enrique.


Já nas redes sociais, @ComAmorCoimbra é o que você deve procurar.


Com amor,

Coimbra 💘



253 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo