Resenha do livro "O poder dos 5 segundos" da Mel Robbins

Atualizado: há 4 dias

Quer saber como sair da zona de conforto? Precisa de apoio da família para não se sentir sozinho e não tem? Você culpa as pessoas por sua infelicidade? Cinco segundos pode ser o que te separa de ter tudo o que você quiser – e você não precisa de ninguém além da Mel Robbins!



Índice


Resenha do livro "O poder dos 5 segundos" | Links para ler "O poder dos 5 segundos" | Dica extra 1 | Dica extra 2 | Notas | Sobre a coluna "Livro de Cabeceira"


Essa resenha contém links afiliados que podem se converter numa pequena comissão para mim caso você adquira as obras através deles – você não paga nada a mais por isso. Esse artigo não é patrocinado ou comprado: as obras apresentadas aqui só foram citadas por terem feito diferença significativa na minha existência.



Resenha do livro "O poder dos 5 segundos" da Mel Robbins


Acho a maioria dos livros de "autoajuda" perigosos porque tem muita gente pronta para escrever qualquer besteira só para te fazer gastar dinheiro – não é o caso da Mel Robbins¹.


Junto à meditação vipassana e o desejo de mudar meus hábitos, essa life coach me ajudou a sair da inércia, usar ansiedade como combustível em vez de prisão, e a manter a depressão bem longe.


Talvez por ser adotado, ou por ter crescido numa família pobre, sempre carreguei um paradoxo do que minha vida e meu relacionamento com meus parentes deveria ser, e o que realmente era².



Depois de 25 anos acreditando que deveria salvar minha família da pobreza, sacrificando quem eu queria ser por isso, fui expulso de casa – aí paradoxo se clareou: apesar dos esforços da minha mãe em me dar tudo que necessário, faltou o elemento da criação.


Dia após dia sozinho cuidando do meu pai, que teve derrames que o incapacitaram quando eu tinha 6 anos, enquanto minha mãe trabalhava para colocar comida na mesa, não tive referências do que minha vida poderia ser – além de um inferno.


Até as séries e filmes norte-americanos fazerem o papel que meus pais não tinham condições de fazer – daí o cinema encheu minha cabeça de problemas:


  • Passei a romantizar a vida em excesso, o que me deixou imaturo, dramático e "mole" para a realidade por muito tempo além da adolescência;

  • Passei a esperar que alguém me salvasse – o que perdurou até poucos anos atrás, quando me jogava em relacionamentos perigosos, normalmente com homens mais velhos ou que prometiam responsabilidade sobre meu futuro, para me isentar da resolução dos meus próprios problemas;

  • E deixei de ver o tamanho do sacrifício que minha mãe fez ao me adotar, ao cuidar de mim e do meu pai, e do quanto ela abriu mão das possibilidades do que ela poderia ser, porque ela própria queria fugir da vida que levava com a mãe dela.



Como diria Allan Watts³, é a gente culpando nossos pais por não terem nos criado direito, nossos pais reclamando da mesma coisa dos pais deles, e nossos avós reclamando da mesma coisa dos pais deles…


O ciclo eterno da culpabilidade sobre quem deveria ter feito o quê por nós, nos rouba a sensação fundamental de que temos o mínimo de controle sobre nosso presente e futuro.


A culpa da nossa infelicidade é d@ namorad@ que largou a gente; não fazemos aquela viagem dos sonhos porque o trabalho "não deixa"; e a gente não se torna a estrela da próxima novela da Globo porque a competição torna tudo injusto e impossível.


Aí que Mel Robbins entra com um texto dinâmico e fácil de entender, interpretando as últimas descobertas da neurociência, para dar na gente o empurrão que faltava para a gente fazer qualquer coisa que quiser!


Com exercícios preciosos para mudar a única coisa que a gente precisa mudar – nossa perspectiva –, "O poder dos 5 segundos" é um livro poderoso de verdade: sem balela de pensamentos positivos trazendo seus sonhos até você.


É você quem vai contra suas resistências e age na direção dos seus sonhos – da vida que você acha que merece viver.



Não aprendi como superar a depressão sozinho da noite para o dia, e não o fiz apenas com a ajuda da Mel Robbins, mas de todos os livros de autoajuda com valor que já li, ela foi a mais certeira em me ajudar a "curar" a procrastinação e fazer o necessário pelo meu bem todos os dias.


Na maioria das vezes, 5 segundos é tudo o que a gente precisa para afundar ou sobressair aos problemas, e ninguém ensina como fazer isso melhor do que Mel Robbins.


Mais do que recomendado – junto com "Seja singular! As Incríveis Vantagens de Ser Diferente" do Jacob Petry e "A família de que se fala e a família de que se sofre: o livro negro da família, do amor e do sexo" do Gaiarsa – "O poder dos 5 segundos" é a bíblia que levanta meu espírito toda vez que preciso de suporte e não tenho a quem pedir socorro.


Ler, por si só, diminui o sentimento negativo da solidão e a transforma em solitude.


Ler alguém como Mel Robbins, com tiros tão certeiros nas questões que impedem a rotina de acontecer do jeito que a gente quer, é quase como ter não só uma life coach só nossa.


E também uma psicóloga, uma melhor amiga, e até uma mãe que faltava.



Leia "O poder dos 5 segundos" por Mel Robbins




Dica extra 1


Se você sabe inglês, recomendo o livro "Stop Saying You're Fine" da Mel Robbins – é a mesma coisa que "O poder dos 5 segundos", só que com menos exemplos e mais detalhes sobre gatilhos mentais de mudança.


"Stop Saying You're Fine" só existe em inglês, então "O poder dos 5 segundos" é a melhor opção, com o conteúdo quase idêntico, para quem só sabe português.



Dica extra 2


O TED Talk da Mel Robbins, "Como parar de se sacanear", é uma preciosidade de 21 minutos – legendada em português – que despertou o desejo de caçar essa mulher atrás de mais entendimento e ajuda. Toque na imagem abaixo ou neste link para assistir no YouTube.




Notas


¹ Apesar do sobrenome e de trabalhar como life coach, Mel Robbins não é parente do também life coach Tony Robbins.


² Se tiver curiosidade clínica, você pode ler o livro que escrevi aos 15 anos, Lado B, que mostra como o cinema estadunidense me influenciou, ilustrando o paradoxo na minha cabeça enquanto protagonista de um drama comum para a maioria dos brasileiros ao redor da linha da pobreza e do desamparo afetivo ou social.


³ Allan Watts foi um escritor britânico que espalhou filosofias orientas no ocidente entre os anos 50 e 70.



Sobre a coluna "Livro de Cabeceira"


Vira e mexe tem alguém perguntando qual é meu livro de cabeceira, ou quais livros li para aprender como superar depressão sozinho.


Por isso tô estreando essa nova coluna: Livro de Cabeceira 👈 E nesse link você poderá acessar todos os livros já indicados, tá bom? ▪



84 visualizações0 comentário
0

ENRIQUE 'SEM H' COIMBRA | 2021